Agenda de concertos (carregar no evento para mais informação)

segunda-feira, 23 de maio de 2016

... E lá acabei por ir a mais um festival.

Sendo certo e sabido que não gosto de festivais "de música", é também verdade que não se recusa um presente de aniversário (ainda por cima fora de época) de um amigo, ainda mais se a oferta nos dá a possibilidade de assistir a um concerto de Bruce Springsteen (que já tinha visto uma vez, mas nunca é demais) com a E Street Band (que nunca tinha visto... e nunca é demais).

Pensei de mim para comigo: "aproveitas e confrontas-te com a ideia que tens dos festivais, a ver se há algo que te faça mudar a ideia que tens da coisa." Ou seja, para além dos concertos, ainda ganho a oportunidade de fazer uma espécie de "estudo sociológico" com o universo de... dois festivais: um em 2009, outro em 2016. O que até calha bem, uma vez que, toda a gente sabe, os ciclos de vida têm precisamente sete anos, por isso é suposto eu ter uma maneira de abordar este tipo de ventos, diferente da que tinha há sete anos, quando fui, de livre vontade ao "Alive" para ver o Neil Young "Live".

Não vou aqui fazer uma análise exaustiva da coisa. Talvez um dia publique um "paper" sobre o assunto numa qualquer revista. Para quem não sabe, "paper" quer dizer papel e refere-se a um artigo que se publica na internet e que se aconselha a descarregar em formato pdf, para não se gastar... papel.

Portanto... O concerto foi muito bom, como se esperaria. A companhia também. O fertival... dispensava o comércio, os sofá insufláveis, a comida de plástico e o pessoal que lá estava por tudo menos pela música. Mas pronto. Lá dizia o Zappa: "Música is the best".


quinta-feira, 12 de maio de 2016

Há Música na Casa da Cerca

Para quem não conhece, a Casa da Cerca fica em Almada, junto ao elevador do Cais do Ginjal. É um espaço simpático, com uma vista fantástica sobre o Tejo e a cidade de Lisboa.

E porque um espaço especial merece uma programação musical especial, a Casa da Cerca oferece um ciclo de concertos diferente do habitual. Eis a apresentação, com aparece no site da instituição:

HÁ MÚSICA NA CASA DA CERCA é um programa de música desenvolvido pela Casa da Cerca em parceria com a PontoZurca, editora e produtora discográfica. Realiza-se entre maio e setembro em vários espaços da Casa, apresentando uma seleção musical eclética em dois formatos - Concertos Invisíveis e Concertos ao Pôr-do-Sol.

CONCERTOS INVISÍVEIS
Um desafio aos sentidos, os concertos invisíveis acontecem no icónico espaço da Cisterna e convidam a experienciar um momento musical em que não se vê o seu intérprete.

CONCERTOS AO PÔR-DO-SOL
Realizam-se no Parque de Escultura da Casa da Cerca e convidam a disfrutar da bela vista sobre o Tejo acompanhada de música: uma playlist de um convidado e um concerto ao vivo.


Todas as informações em:
www.facebook.com/hamusicanacasadacerca


terça-feira, 3 de maio de 2016

MIA 2016

7º Encontro de Música Improvisada de Atouguia da Baleia

PROGRAMA
5 Maio, 5ª feira
14:30 h. - Improvisação/Soundpainting – Workshop orientado por François Choiselat

6 Maio, 6ª feira
14:30 h. - New solo conception in composed and improvised music – Masterclass orientada por Mark Alban Lotz
22:00 h. - Mark Alban Lotz – Concerto solo
24:00 h.– MIA Party - After Hours Jam Session

7 Maio, sábado
15:00 h. - Obituary (homenagem a músicos mortos no ano de 2016)
15:30 h. - Grupos sorteados
19:00 h. - Água Benta
22:00 h. - P.R.E.C.
22:30 h. - Ensemble MIA
24:00 h.– MIA Party - After Hours Jam Session

8 Maio, domingo
15:00 h. - O Olho
15:30 h. - Grupos sorteados
19:00 h. - Breathing Space
22:00 h. - Quarteto Incrível
22:30 h. - Ensemble MIA
24:00 h.– MIA Party - After Hours Jam Session

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Mais uma cifra... primeira a pedido!

Finalmente alguém me pediu para publicar os acordes duma canção. Caiu a escolha no "Fire", canção menos conhecida do Bruce Springsteen que já teve várias versões "teatrais" ao vivo, sendo o vídeo abaixo uma delas, por acaso a que acabou no disco "Live 1975-85". Há outras versões, mais rápidas, com alguns acordes diferentes, mas foi esta que me pediram, por isso é a que fica. Espero que vos sirva. Ah, claro, um obrigado pelo pedido. Aguardo os seguintes.

Aqui à direita está a capa do disco em questão, um documento imprescindível para se perceber como era Springsteen ao vivo naquela altura (1975 a 1985). Hoje em dia será diferente, mas isso confirmarei presencialmente muito em breve, ali para os lados da Bela Vista. E viva a amizade!





A cifra está, claro, na página Cifras
Não é tocada exactamente como está no vídeo. Tornei-a um pouco mais simples, para dedos menos treinados. Mas está muito parecida. Experimentem tocar com o vídeo e digam-me se resulta.